Planejamento tributário Internacional com Sociedades Anônimas Offshore uruguaias

Em um mundo cada vez mais globalizado e competitivo, é fundamental que as empresas e grandes patrimônios busquem formas de otimizar o aspecto tributário de acordo com suas necessidades. O Uruguai, graças à sua segurança jurídica reconhecida internacionalmente, somado a um sólido sistema financeiro, o torna uma excelente opção para estruturar empresas Offshore como Holding ou Traders.

Existem três tipos de sociedades anónimas que permitem a realização dos tipos de operações acima descritos: sociedades anônimas tradicionais, sociedades anônimas de zona franca e sociedades anônimas simplificadas (SAS).

Nesta oportunidade iremos focar nas tradicionais sociedades anônimas. Descartamos as Sociedades da Zona Franca devido ao seu alto custo operacional e requisitos elevados, bem como o SAS por ter uma contribuição para a previdência social obrigatória que a torna onerosa no longo prazo.

A sociedade anônima tradicional é a mais popular do Uruguai, mas pode ser utilizada para a realização de atividades tanto localmente como no exterior devido ao princípio da territorialidade vigente no país. Na medida em que a empresa não obtenha lucro ou não tem bens em território uruguaio, não pagará impostos, exceto o Imposto sobre as Sociedades por Ações (ICOSA).



Aspectos Fiscais


A Sociedade por Ações deve pagar um imposto anual ao controle das Sociedades Anônima (ICOSA), que totaliza aproximadamente US $ 500 por ano.

Como comentamos anteriormente, enquanto a empresa não tiver lucro ou ativos no Uruguai, não pagará impostos, mas deverá apresentar declarações anuais juramentadas a Direção Geral de Impostos (DGI) e ter uma contabilidade de acordo com as Normas Financeiras Internacionais .

No caso de realizar Comércio Internacional de bens ou serviços, cuja origem e destino não sejam o Uruguai, poderá optar por um regime tributário fictício (Resolução 51/97) onde a alíquota do imposto de renda a pagar será de 0,75%.

As vendas das ações da Companhia estão sujeitas ao Imposto de Renda de Não Residentes (IRNR) à alíquota de 2,4% sobre o valor do contrato de compra e venda de ações.



Operação Prática


Embora seja possível adquirir uma Sociedade Anónima desde o momento da sua constituição, o que habitualmente ocorre na prática é a aquisição de sociedades já constituídas e que não tiveram atividade anterior. Isso ocorre porque todo o processo de treinamento pode levar mais de 90 dias para ser concluído. A aquisição de um S.A. já constituída permite iniciar as suas atividades praticamente de imediato.


O capital da sociedade pode pertencer em sua totalidade a um ou mais acionistas, que podem ser pessoas físicas ou jurídicas residentes ou não no Uruguai.


Quer as ações sejam Nominativas ou ao Portador, os beneficiários finais (pessoas físicas) devem ser notificados ao Banco Central do Uruguai em cada modificação da titularidade das ações. A referida comunicação não é de natureza pública, pelo que nenhuma pessoa pode solicitar informações sem ordem judicial devidamente justificada.


A representação da Sociedade estará a cargo do Conselho de Administração (Directorio), que pode ser integrado por uma ou mais pessoas físicas ou jurídicas residentes ou não no Uruguai. O Conselho de Administração poderá reunir-se no país ou no exterior, com a periodicidade que julgar conveniente e obrigatória quando imposta por estatuto.


As sociedades devem realizar pelo menos uma Assembleia Geral Ordinária de Acionistas que aprove o balanço, delibere sobre a destinação dos lucros e nomeie administradores, a menos que neste último caso o estatuto preveja prazos mais longos para o exercício do cargo de administrador. A Assembleia Geral deve ser realizada no Uruguai e os acionistas podem ser representados por procuração simples.



Âmbito de aplicação


As sociedades anônimas uruguaias são uma excelente ferramenta de extrema utilidade para as empresas multinacionais realizarem operações de comércio internacional ou de intermediação entre terceiros países. A grande vantagem é o baixo nível de imposto de renda que possui e o alto grau de reconhecimento perante outras autoridades fiscais para justificar suas operações.


Também é útil para atividades como cobranças e pagamentos no exterior originados por diversos motivos, como prestação de serviços, assessoria, comissões, etc., a fim de concentrar os lucros na Corporação e reduzir os impostos a pagar.

No que se refere à propriedade intelectual, as Sociedades Anônimas são uma excelente forma de manter a titularidade de uma marca ou patente licenciada a diversas sociedades, concentrando royalties na Sociedade Anônima de forma a reduzir o imposto que incide sobre elas.


No caso de investimentos em ativos, seja em imóveis no exterior ou em carteiras de investimentos financeiros, as Sociedades Anônimas são uma ótima forma para reduzir ou diferir os impostos no país de origem dos beneficiários finais de forma legal.


Para evitar as regras de herança, as ações ao portador da Corporação permitem que ela seja proprietária de um imóvel, por exemplo, e o transmita livremente.

Além disso, como não há transmissão hereditária, o imposto sobre herança é evitado.

Efeito semelhante pode ser alcançado em caso de dissolução da união conjugal.


Para mais informações escreva para consultas@gro.com.uy




Entradas recientes
  • Instagram - Círculo Blanco
  • Facebook - círculo blanco
  • Twitter - círculo blanco
  • LinkedIn - círculo blanco

2021 © GRO Consultores & Asociados . Todos los derechos reservados